Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2017

PASSO A PASSO PARA COMPRA DE UM BOM ÔMEGA-3:

FONTE DA IMAGEM: http://www.nutraingredients.com Devido inúmeras solicitações via E-mail, WhatsApp e Consultório, resolvi montar um post sobre a compra correta do ômega-3 para ajudar. Os Ácidos Graxos Poli-insaturados Omega-3 não são produzidos pelo corpo humano, e por isso, devem ser obtidos por meio da alimentação.  O EPA é um tipo de ômega 3 importante por sua ação anti-inflamatória, atuando na produção de substâncias anti-inflamatórias chamadas prostaglandinas (E3), enquanto que o DHA está mais ligado à saúde do cérebro e da retina dos olhos. Além disso, o óleo de peixe também pode ser interessante para pessoas que apresentam sintomas ou doenças de caráter inflamatório como celulite, obesidade, artrite reumatoide, etc. O mais importante, e talvez o primeiro item, a ser observado no produto é se as cápsulas contém vitamina E. Isso porque esta vitamina vai atuar como um antioxidante, evitando assim a oxidação do óleo de peixe e mantendo a qualidade do produto. Outr

ESTUDO DA USP: Corte de frios pode levar a contaminação por bactéria

FONTE DA IMAGEM: http://publichealth.lacounty.gov Uma pesquisa científica de Mestrado (2016) do Centro de Pesquisa em Alimentos/ Food Research Center (FoRC) da USP, mostra como se dá a contaminação cruzada da bactéria Listeria monocytogenes no processo de corte de frios. A contaminação cruzada é o processo de transferência de micro-organismos de um alimento contaminado para outro não contaminado. No estudo, ela simulou em laboratório a contaminação cruzada em um fatiador de frios e conseguiu demonstrar que essa bactéria é transferida a duas centenas de fatias de rosbife cortadas por um aparelho contaminado com o micro-organismo. O estudo comprova que, apesar de o processamento térmico desses alimentos ser suficiente para eliminar esse micro-organismo, a ocorrência de contaminação cruzada pós-processamento pode resultar em aumento do risco à saúde do consumidor. A Listeria monocytogenes é uma bactéria que pode colocar em risco a vida de pessoas com imunidade baixa

Relação entre Vitamina D e Câncer de Esôfago:

Diversas pesquisas já indicaram que a vitamina D ajuda no combate de alguns tumores – ela luta contra o câncer de mama, de próstata e de pâncreas, por exemplo. A novidade é que cientistas do Queensland Institute of Medical Research , da Austrália, concluíram que a Vitamina D também ajuda a reduzir o risco de câncer de esôfago. Esse é o sexto tipo de câncer mais comum entre os homens brasileiros, então é importante investir neste composto. O déficit de vitamina D pode ser observado pela perda de apetite, ganho de peso, sede excessiva, perda óssea, náusea, nervosismo, hipertensão e raquitismo. A vitamina é encontrada em peixes de água fria como salmão, cavala, anchova, sardinha e atum e também em óleo de fígado de bacalhau, ovo, manteiga, fígado, cogumelos e produtos enriquecidos com a vitamina (leite, iogurte, cereais matinais). É importante lembrar que para ativar a vitamina é preciso tomar sol de 15 a 20 minutos, sem uso do protetor solar, pelo menos três vezes por semana, p

ADITIVOS ALIMENTARES E RISCOS DE CÂNCER:

FONTE DA IMAGEM: http://food.ndtv.com Quando o assunto é conservante, o cuidado com a alimentação vai além dos sólidos. Assim como os salgadinhos, massas e geleias, as bebidas possuem grande quantidade de conservantes em sua composição. O benzonato de sódio, presente no ácido benzoico, tem ação antibacteriana e é usado em alimentos ácidos. Nos refrigerantes, por exemplo, proporciona mais sabor e ajuda a manter a cor. Ainda que seja liberado pela legislação brasileira, o consumo em excesso faz mal ao organismo. Pesquisas revelam que a combinação de ácido ascórbico (vitamina C) e o ácido benzóico em elevadas temperaturas podem desenvolver o benzeno, substância cancerígena. A exposição à luz também ajuda na formação dessa substância que, quando consumida, pode gerar dores de cabeça, tonturas, vômitos e fadiga. Quando o caso se torna mais grave, a presença do benzeno causa danos neurológicos, mas tudo depende do tempo e intensidade de exposição da substância no organismo.

NOVO ESTUDO SOBRE A DIETA E RISCO DE CÂNCER:

A revista Nature  http://www.nature.com/nature/journal/ v541/n7635/full /nature20791.html   publicou agora em janeiro/2017,  um estudo sobre a descoberta das células que iniciam a metástase. O mecanismo pelo qual algumas células tumorais se desprendem da lesão e invadem outros órgãos ainda é desconhecido, então, os pesquisadores buscaram investigar o comportamento de células-mãe que estão presentes nos tumores, cujo papel é potencializar o crescimento, e encontraram uma subpopulação que se dividia pouco e apresentava características muito semelhantes às das células da metástase. Essas células apresentavam um metabolismo muito elevado de gorduras. A partir disso os pesquisadores estudaram a proteína CD36, uma molécula que transporta gorduras, está na superfície das células metastáticas e foi encontrada em outros tipos de tumores, como o melanoma e o câncer de mama. Além disso, quando as moléculas de CD36 foram acrescentadas a células tumorais que não sofriam metástase, as mesm

HEMOCROMATOSE: Você sabe se tem?

FONTE DA IMAGEM:  http://www.health.harvard.edu/ A Hemocromatose caracteriza-se pelo acúmulo de ferro nos tecidos. Esse aumento ocorre quando o suprimento de ferro excede a necessidade do organismo. O ferro em excesso pode acumular-se em diferentes tecidos e causar lesões graves. Os tecidos mais acometidos são: coração, fígado e pâncreas. CAUSAS A doença pode ser de dois tipos: hereditária ou secundária. A causa mais comum é aquela determinada por condições genéticas. A hemocromatose hereditária, exemplo clássico de desordem genética (que pode acometer em torno de 0,5% da população geral), altera o controle de absorção de ferro pelo intestino que, além de inapropriada, resulta em acúmulo e toxicidade de diferentes tecidos. É necessário não se esquecer de anemias hereditárias também relacionadas a sobrecarga de ferro, como por exemplo a Beta-talassemia. Embora menos comuns, são extremamente preocupantes em termos de saúde pública: transfusão crônica de sangue